O JUDO

O Judo é uma arte marcial e um desporto de combate, fundado por Jigoro Kano em 1882. Os seus principais objectivos são fortalecer o físico, a mente e o espírito de forma integrada, além do desenvolvimento de técnicas de projecção e controlo no solo.
Judo 柔道 significa “caminho da suavidade” ou “arte suave” e a sua prática distingue-se das outras artes marciais pelo facto de nunca pôr em perigo a integridade física dos praticantes.
O Judo teve uma grande aceitação em todo o mundo, pois Kano conseguiu reunir a essência dos principais estilos e escolas de jujitsu, arte marcial praticada pelos "bushi", a outras artes de luta praticadas no Oriente e fundi-las numa única. 
 
Kano, educador por vocação e convicção, com base no jiu-jitsu, elabora um sistema de educação física e formação do carácter através da disciplina, com vista a fazer frente ao relaxamento dos costumes devido ao desaparecimento quase completo da tradição cavalheiresca, provocada pela abertura da sociedade japonesa ao ocidente.
Em Fevereiro de 1882 cria o Kodokan (escola para o estuda da via ou Instituto do Grande Princípio).
O Kodokan continuou a crescer de ano para ano e foram criados novos centros de ensino. Em 1895, Kano, de forma a facilitar o processo de aprendizagem, organiza uma pedagogia do Judo, o Gokio, classificando as técnicas de projecção em cinco grupos (go-kyo-no-waza) com a ajuda de uma dúzia dos melhores mestres. O Gokyo engloba as 40 projecções fundamentais e permanece inalterado até aos dias de hoje. Com o passar dos tempos, o kendo e o Judo passaram a integrar o currículo escolar e em 1931 tornaram-se disciplinas obrigatórias para rapazes, em todo o país.
 
 
O Judo em Portugal
O primeiro contacto de Portugal com o Judo de que temos conhecimento remonta a uma demonstração pública feita por 2 oficiais da Armada Japonesa ancorada em Lisboa, no início do século XX. Tal como um pouco por toda a Europa, alguns curiosos procuravam conhecer e aprender um pouco desta nova arte. O primeiro professor de jiu-jitsu japonês que esteve em Portugal chamava-se Hirano.
 
Em Lisboa, António Correia Pereira correspondia-se regularmente com Risei Kano e Moshizuni, director do Yoseikan. Devido às suas diligências grandes mestres do Judo e Aikido visitaram Portugal. António Correia Pereira é o primeiro português cinto negro, 1º Dan, inscrito no Kodokan, membro da Kodokan-Jiu-Jitsu Association. Em 1955 Henry Bouchend’Home, 1º Dan e professor de Educação Física vem também para Lisboa, para o Liceu Francês Charles Lepierre. Começa a ensinar judo no Lisboa Ginásio Clube. 
Quase na mesma altura chega a Lisboa o Suíço Antony Stryker, 1º Dan, que abre uma sala no Largo do Intendente, onde teve como aluno, entre outros, José Manuel Bastos Nunes.
 
Em Agosto de 1958 vêm a Lisboa Ichiro Abe, Kiyoshi Kobaiyashi e o 1º Dan belga Lannoy-Clerraux. 
Os praticantes da altura, fascinados com a técnica e eficiência de Kiyoshi Kobaiyashi, fazem-lhe um convite para vir para Portugal. Acordadas as condições, Kiyoshi Kobaiyashi volta a Portugal no final desse mesmo ano respondendo a um convite do INEF, tencionando ficar dois anos ao abrigo dum contrato entre os Governos Japonês e Português. Quando acabou o contrato recebeu convites de Inglaterra, França e Dinamarca, mas já não conseguiu partir. Começa a desenvolver a sua actividade no Judo Clube de Portugal, Clube Shell, INEF onde leccionou nos dez anos seguintes, e Judo Clube de Beja, a normalizar as técnicas e a melhorar o plano competitivo.
Foi seleccionador e treinador da selecção nacional e liderou diversas selecções de Judo a Campeonatos da Europa e do Mundo e dos Jogos Olímpicos de Montreal, Los Angeles e Seoul.
1959 é ainda o ano em que se realiza o 1º Campeonato Nacional Absoluto, ao ar livre, na relva do Estádio Universitário de Lisboa, que tem como vencedor Arlindo de Carvalho. 
Como consequência da difusão e interesse verificado pela modalidade, sentiu-se a necessidade de criar um organismo oficialmente reconhecido, com a missão de divulgar, organizar, orientar e fomentar a modalidade e o Prof. Duarte Leal encabeça a Comissão Organizadora da FPJ. 
 
Neste contexto, a 28 de Outubro de 1959, nasce a Federação Portuguesa de Judo, sendo o Judo Clube de Portugal seu sócio fundador, ficando-lhe entregue as funções federativas até 1962.
A melhoria do nível dos atletas e a necessidade de comparação e de outros estímulos obrigam os dirigentes a pensarem em contactos além fronteiras. Assim no Congresso da União Europeia, o pedido de filiação da Federação Portuguesa de Judo é aceite, tornando-se membro efectivo em 1961.
A partir de 1974 dá-se um novo incremento na modalidade. 
Assim, na sequência do 25 de Abril de 1974 e da democratização do país e sob o impulso da então Direcção Geral dos Desportos é apoiada a formação de monitores de Judo e a abertura dum numero considerável de novas salas ou melhoria das existentes, através da cedência de tapetes novos. 
Com este novo impulso da modalidade, há a necessidade da mesma se organizar duma outra forma, com base em estruturas associativas que representem os seus clubes na Federação, em vez da representação directa até então.
 
Com base no Decreto-Lei nº 460/77 de 7 de Novembro a Federação Portuguesa de Judo é considerada Instituição de Utilidade Pública. 

 

Os princípios que inspiraram Jigoro Kano quando da idealização do Judo foram os seguintes:
 
Princípio da máxima eficiência com o mínimo de esforço (seiryoku zen’yo)
 
Princípio da prosperidade e benefícios mútuos (jita kyoei)
 
Princípio da suavidade, ou seja, o melhor uso de energia (ju)

O Judo é um desporto Olímpico de elevado valor educativo, sendo recomendado pela UNESCO como um dos desportos mais adequados para crianças e adolescentes.

“A meta final do judo é o aperfeiçoamento do indivíduo por si mesmo, desenvolvendo um espírito que
deve buscar a verdade através do esforço constante e da sua total abnegação, para contribuir na
prosperidade e no bem estar da humanidade.” Jigoro Kano – fundador do Judo

Descubra o desenvolvimento do Judo em Portugal de 1959 a 2009 nesta série de videos produzidos pela Federação Portuguesa de Judo.

Episódio 1

Episódio 2

Episódio 3

Episódio 4

Contacto

Rua de Cabo Verde, nº 54, cave
Portimão
8500-616 Portimão
Portugal
Joaquim Baptista - 918 660 419
Delfim Martins - 917 015 996
judoportimao@gmail.com